Sindicato dos Mineiros de Candiota debate sobre recuperação salarial - PinheirOnline

Post Top Ad

Responsive Ads Here
Sindicato dos Mineiros de Candiota debate sobre recuperação salarial

Sindicato dos Mineiros de Candiota debate sobre recuperação salarial

Share This
A reposição salarial dos trabalhadores da Companhia Rio-grandense de Mineração (CRM) é a pauta da assembleia do Sindicato dos Mineiros de Candiota. O encontro está programado para hoje, às 16h. 

Conforme o presidente, Wagner Pinto, um acordo coletivo deveria ter sido oficializado, no dia 30 de abril, com a empresa. Isso para que, no dia seguinte, o valor entrasse em vigor. Contudo, até o momento, as negociações não avançaram. De acordo com Pinto, a categoria pede uma reposição de R$ 983, enquanto a CRM oferece R$ 688. Em caráter estadual, seriam beneficiados cerca de 450 funcionários. “Apenas queremos que o nosso salário acompanhe a inflação. Não pedimos mais do que isso, pois sabemos a situação em que o Estado se encontra. Por isso, a partir das 16h, pararemos o turno de trabalho e decidiremos, em frente ao portão principal da CRM, os rumos que a categoria irá tomar”, salienta.

Paralelo ao movimento, o presidente informa que a CRM marcou uma reunião com os sindicalistas para segunda-feira, às 13h30min, na sede, em Porto Alegre. “Depois que definimos essa assembleia fomos avisados que estava marcado esse encontro”, aponta.

Periculosidade e terceirizações

No dia 5 de abril, o sindicato foi surpreendido com corte da periculosidade do salário de 350 trabalhadores da CRM. Isso equivale a 30% no vencimento de cada funcionário. Três dias depois, a categoria entrou em estado de greve, situação que permanece até o momento. “Há 26 anos esse valor era incorporado ao salário. Não está tendo interesse da empresa em tratar conosco sobre o assunto”, relata.

O outro debate elencado pela categoria nos últimos meses diz respeito à terceirização. Segundo Pinto, pelos cálculos do sindicato, mais de 70% do quadro de servidores da CRM se enquadram nesse tipo de contratação. Em reportagens anteriores, ele destacou que o corte da periculosidade resultaria numa economia de R$ 270 mil para a empresa.

No entanto, o gasto com outras prestadoras de serviço atinge R$ 7 milhões. “Esse tipo de regime só prejudica o trabalhador. É uma luta de tempos que travamos”, afirma. Sobre a terceirização, a CRM informa que sempre prioriza seus funcionários e que os contratos obedecem aos critérios da Lei das Licitações (8 666/93). Quanto à periculosidade, a empresa salienta que o corte atendeu à determinação do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul (TCE-RS).

http://www.jornalfolhadosul.com.br/noticia/2016/08/31/sindicato-dos-mineiros-de-candiota-debate-sobre-recuperacao-salarial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por moderação e caso não enquadrem-se na política de comentários serão rejeitados.

De maneira alguma será uma forma de barrar a participação dos leitores, mas sim como ja foi dito, de manter um debate de alto nível. Caso tenha dúvida consulte a Política de comentários.

Ao escrever, pense como se o proprietário do blog. E que você pode ser responsabilizado judicialmente pelos comentários.

Mesmo assim, antes de comentar, procure analisar se o seu comentário tem realmente algo em comum com o assunto em questão.

Comentários em tom ofensivo, ou que acusem diretamente pessoas envolvidas ou não nas postagens não serão publicados.

Obrigado e não deixe de comentar.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Pages